segunda-feira, 28 de abril de 2014

Doses


Depois do décimo copo ela já nem sentia mais os lábios – tudo estava amortecido. “Garçom, mais uma rodada” disse ela terminando de beber o restinho que havia em seu copo. Já mais nada importava e ela poderia ficar ali horas, sem ver o tempo passar, mas observando o cenário a sua volta se transformar. Mais nada importava agora, o estupor há a havia consumido e copo após copo ela ia se afundando em um mar de escuridão. E apenas um pensamento passava pela sua mente “como é que vou ir embora daqui sem aquele idiota?”

Raphaela Barreto 

8 comentários:

  1. Perfeito! É um texto curto, mas eu gostei imenso! Infelizmente as pessoas as vezes perdem o controlo de si próprias...

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  2. Amei o texto (os outros também) do seu blog <3 Você escreve super bem, já estou seguindo :) Beijos beijos! Ao Estilo de Mary

    ResponderExcluir
  3. Deve ser muito ruim passar por isso né?
    O texto é lindo!

    http://tudodiferentecomsamaralima.blogspot.com.br/
    Instagram - @samaralima_03

    Beijos ♥♥

    ResponderExcluir
  4. A bebida inebria os sentimentos e sentidos, mas, muitas vezes, afaga o coração.
    Adorei o texto.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de Abril

    ResponderExcluir
  5. E continuava lucida,pelos vistos.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Deve haver alguma outra alma amiga para ajudá-la. rs


    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Um texto bem legal, toca be, no coração. <3

    http://www.fluxoperfeito.tk/

    ResponderExcluir