terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Incógnita


Aumentei a musica e acelerei o passo até se tornar uma corrida. O que era para ser algo para esvaziar a mente se tornou minha pequena prisão de pensamentos, cada passo uma ideia enraizada enrolada pela musica através de minha mente, cada batida um novo pensamento. Uma confusão de idéias, um turbilhão difícil de explicar e uma vontade inexplicável de que tudo ficasse branco. Que eu pudesse me desligar e minha mente entrasse naquela caixa do nada, onde a paz reinasse, como quando nado; quando tudo o que me importa na água é bater as pernas e sincronizar os braços para não afundar, quando não há espaço para pensar, apenar sentir a água em meu corpo tirando me o calor e meu ouvido mal ouvindo sons no exterior, como puxar todo o ar e mergulhar e ficar lá concentrada em tudo ali embaixo e em nada em cima, como retornar a superfície e inspirar todo ar que conseguir para suprir a necessidade de meu pulmão que já protesta pela falta de oxigênio. Mas não, ali correndo nada disso aconteceu. Só pensamentos e mais pensamentos me invadiam enquanto uma intensa necessidade de corpo e alma cresciam em conjunto com minha vontade de me jogar na água e fazer tudo aquilo passar. Troquei a música, suspirei, aumentei o passo até me sentir exausta, sim, precisava ficar exausta, mas nada disso adiantou, e a ideia de que a vida é uma eterna ironia e que nós somos uma perfeita incógnita não deixou minha mente. 

domingo, 18 de dezembro de 2016

Desordem


O pior é quando chego em casa, quando imagino que deveria estar em outro lugar, com você. Sabe, hoje tive que me maquiar para um evento, e por fora eu estava bonita e por dentro uma total desordem. Quando tirei a maquiagem no final da noite, queria estar limpando minha alma também e não só o rosto. Não tem sido fácil, e acredito que para você também não, já estive desse lado da moeda duas, três vezes e sei que é uma merda, é uma dor inexplicável, uma pressão no peito e a pergunta que não sai da mente "Por que eu?" Bem, nem eu sei a resposta para isso. Acho que todo mundo tem que passar por isso uma vez na vida, é uma merda de experiência, mas que acontece e eu realmente sinto muito por eu ser a causadora, e o pior, para aquele que mais amei e amo ainda. Queria ser eu também a juntar os cacos disso tudo, os teus e os meus também. Espero que um dia possa me perdoar ou compreender. Espero que deixe esse sentimento sair, que as coisas se acertem. Espero que encontre a felicidade e ainda tenho uma pequena esperança de que eu ainda possa te fazer sorrir. 

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Imaginação


“Tudo o que você pode imaginar é real” 

– Pablo Picasso

sábado, 10 de dezembro de 2016

[Resenha] Finale (Hush Hush) - Becca Fitzpatrick


Finale, escrito por Becca Fitzpatrick e último livro da série hush hush, em minha opinião, é diferente dos anteriores – desta vez temos muito mais ação, mas sem perder o romance.
Nora é a nova líder do exército nefilim (presentinho de seu pai biológico) e tem como missão (ou ela morre) liderar o exército contra os anjos caídos, só tem um pequeno detalhe: Patch, seu namorado é um anjo caído – mas nem isso é capaz de separa-los.
“Sempre que a dúvida e a tristeza invadiam minha mente, tudo o que eu precisava fazer era pensar nele. Não sabia se tinha feito a melhor escolha todas as vezes, mas de uma coisa eu não tinha dúvida: tinha acertado com relação a Patch. Não podia desistir dele. Nunca.”
E nesse meio todo, Marcie, sua arqui-inimiga da escola, decide morar em sua casa; sua melhor amiga, Vee, descobre que não é humana e Nora se vê temporariamente viciada em artes do mal. – Como se não fosse suficiente, alguém que jamais Nora esperaria está tentando roubar seu posto de líder no exército nefilim, e tentando conseguir vencer esta facada nas costas, uma ideia perigosa surge e Marcie consegue estraga-la mandando todos os anjos caídos para o inferno.
“Eu amo Patch! Sempre vou ama-lo! Prometi a ele que ficaríamos juntos gritei dentro de minha cabeça, porque as palavras eram duras demais para serem ditas. Elas arranhavam minha garganta como se fossem unhas.”
Nora arrasada, e a guerra começa – os anjos caídos conseguem sair do inferno com a ajudinha de um nefilim, e por sorte Patch não ficou para trás. A luta não foi fácil, mas alguém tem que ganhar e quase sempre os mocinhos ganham – mas nunca sem uma grande perda. 
E para acabar a serie e concluir esse amor épico, Becca ainda usa um pouco de ousadia, e isso só cabe a Patch, com certeza.
“Você veste essas roupas para impressionar” – falei em tom de aprovação.
“Não, Anjo. [...] Eu tiro a roupa para impressionar”.
 
Páginas: 303


Nota: 5 estrelas 

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Envelhecer


Como será envelhecer? Lembrar-se do passado e ver o quanto já se viveu? Relembrar as alegrias e as tristezas, olhar para os filhos e netos. Como será dormir ao lado de alguém a vida toda? Conhecer seus costumes e manias, seus passos, e sua vida? Como será saber que a morte se aproxima e mesmo assim aceita-la, pois já cumpriu sua missão? A vida é fascinante. Imagino-me sentada em uma cadeira de balanço, com os cabelos grisalhos e ao lado de meu eterno amor, sorrindo, lembrando-me deste exato momento e respondendo “ah, é assim que é envelhecer!”.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Partiu

De tanto sonhar acordado
o menino de olhos cerrados
criou asas para voar.


Daniela Silva
Do blog Café e Ócio, acredito que este é o blog que mais citei aqui no My Life.
Simplesmente adoro o cantinho da Dani!

sábado, 29 de outubro de 2016

Dicas para a entrevista de emprego

Não é nenhuma novidade que o país está em crise, mas vem melhorando com o passar dos dias, então selecionei algumas dicas que podem ser cruciais na hora de ir bem na entrevista:

Aparência:
·         Toda empresa deseja um funcionário que venda saúde e disposição, tanto na aparência física quanto a própria vestimenta terão enorme importância nesse “primeiro contato”.
·         Convém, no dia da entrevista, colocar uma roupa discreta e harmoniosa, que imponha discrição e seriedade.
·         Mulheres: cuidado com excesso de maquiagem, perfume, detalhes e bijuterias são condenáveis quando é exagero; O cabelo deve ser bem limpo e o penteado discreto, assim como toda produção ou, se possível, cabelo presos.
·         Homens é totalmente inadmissível uso de boné, cabelos arrepiados, mas cortados ou mal penteados.

Educação:
A Maneira de entrar na sala de cumprimentar, de se sentar, as atitude, os gestos e movimentos, o tom de voz, a forma de se expressar... Tudo isso estará sendo avaliado atentamente tanto como seu grau de instrução e de cultura.

Simpatia:
O carisma deve ser expresso do começo ao fim da entrevista. O Jeito de ser, a personalidade, a expressão fisionômica, a forma natural e ponderada dentro de certos limites. O sorriso e o bom humor continuam sendo os segredos do sucesso. O carisma, a segurança e a afinidade expressas neste primeiro contato ajudarão na pontuação final.

ESPERA-SE DO CANDIDATO
·         Boa apresentação (a embalagem valoriza o produto);
·         Manter o celular desligado;
·         Desinibição: não sentir-se intimidado ou nervoso;
·         Não leve ao pé da letra a frase “fique à vontade”;
·         Determinação de ideais e perspectivas profissionais;
·         Confiança pessoal e profissional;
·         Competência, motivação, espiritualidade;
·         Tenha ambição, mas moderada. Nunca vá com muita sede ao pote. A ambição, quando muito transparente, ou como meta e objetivos, pode assustar.
Vale a pena lembrar que, ao final da entrevista, tudo será analisado e somado, resultando na “pontuação” necessária para o candidato.


15 perguntas que podem cair em uma entrevista
  •  Fale-me a seu respeito.
  • O que você pode nos oferecer?
  • O que você sabe sobre nossa empresa?
  • Quais são seus pontos fortes e fracos? (ou seja, suas qualidades e aspectos negativos).
  • Quais são suas metas e ambições?
  • Quais são suas limitações?
  • Por que você quer trabalhar?
  • Como você descreveria sua personalidade?
  • O que é mais importante para você profissionalmente?
  • Quais são seus objetivos em longo prazo?
  • Qual a decisão mais difícil que tomou até hoje?
  • Você é capaz de trabalhar sobre pressão e com prazos definidos?
  •  O que faz no seu tempo livre?
  • O que mais te motiva?
  • Se você fosse um animal, qual seria? Por quê?
Agora só se preparar! 
E depois dessas dicas, nesse clima de entrevista, informo que infelizmente minhas aparições aqui no blog já raras vão ficar ainda mais raras. Sai do time dos desempregados e logo começo a trabalhar, então conciliar o blog, faculdade, trabalho e vida social fica um pouco difícil, sem contar um projeto que estou escrevendo um livro (mais para frente novidades), mas não abandonarei o blog. Estarei sempre atualizando o instagram do My Life, sigam clicando aqui.

Até logo e boa sorte na entrevista! 

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

“E o homem não experimenta sua existência atrás de uma escrivaninha”

O Mundo de Sofia

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Como a primeira vez


Toda vez que eu o via era como se fosse a primeira vez. Os olhos, o sorriso, a voz, era como se apaixonar novamente... e depois mais uma vez. Não importava quantos dias ficássemos sem nos ver, quantas vezes na semana iriamos discutir, assim que nossos olhares se encontrassem e dessemos um beijo rápido para não tirar meu batom, tudo iria ficar bem. 
Tudo parecia mágico, um amor forte e inebriante, um encaixe perfeito. Como se o universo tivesse nos criado um para o outro, para nos tornar melhor, para sermos melhores e complementarmos a vida um do outro. Afinal, eu não imaginava mais ninguém querendo ouvir minhas ideais mirabolantes e pensamentos de psicanálise até a reprodução de um louva-deus, como também ele não encontraria mais ninguém que quisesse sair a noite para beber e conversar sobre física e universo durante longos goles.
Não existia nada antes de nós, só existia o nós ali e em qualquer lugar. Só existia o tempo em que nos conhecemos, porque era esse o tempo que importava. E mais que isso, existia o tempo de amanhã, a certeza que estaríamos juntos dia após dia cumprindo nossos planos e sonhos. 

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

E então?


E se você dormisse? E se você sonhasse? E se, em seu sonho, você fosse ao Paraíso e lá colhesse uma flor bela e estranha? E se, ao despertar, você tivesse a flor entre as mãos? Ah, e então?”


O Mundo de Sofia

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Partes

 

Refletindo ultimamente percebi que não tenho mais tempo para uma coisa que amo: escrever. Não há mais poesias, contos ou reflexões. Não há mais qualquer frase em um pedaço qualquer de papel.
Então assim é crescer? Trabalhar, fazer faculdade e assumir responsabilidades? Entrar no automático e não conseguir sequer formar uma frase decente?
Confesso que tenho saudades de minha mente há quatro anos e caramba já faz quatro ano em que minha mente tinha mais imaginação, em que eu sonhava mais... Os dias estão passando rápido demais e cada segundo que passa é como se um pedacinho daquela garota se fosse. Claro, sei que estou aqui, sei que sou a mesma, mas como se esta parte estivesse adormecida e necessitando urgentemente despertar. 

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Wattpad


Hoje quero lhes apresentar um aplicativo maravilhoso (pode ser baixado no play store) para quem gosta de ler e escrever: wattpad. Você pode criar uma conta e simplesmente escrever sua história, ou ler histórias escritas de outras pessoas como você. Não há escritores famosos, apenas nós. Há vários tópicos e você pode escolher entre romance, aventura, ficção, comédia... e mergulhar na leitura pelo seu celular, tablet ou computador. Há livros muito bons lá e muito bem escritos, em contrapartida, há aqueles que precisam ser melhorados. De qualquer forma, o aplicativo é muito bom e já li histórias que me fizeram pensar "Caramba, por que isto não foi publicado ainda?". 
Para visualizar minha conta, basta clicar aqui, sempre divulgo em minha lista de leituras os livros que mais gostei, e vou criar um cantinho aqui no blog para as resenhas dos livros que prenderam minha atenção.

Ótima leitura a todos!

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Vai ter um pouco mais de "O Mundo de Sofia" sim

“Ele dizia que a natureza era boa e que o homem, portanto, era “naturalmente bom”. Todo o mal estaria na sociedade civilizada, que afasta o homem de sua natureza. Por isso Rousseau também queria que as crianças vivessem por mais tempo possível em seu estado “natural” de inocência. [...] Até então, a infância tinha sido vista como uma preparação para a vida adulta. Mas somos todos seres humanos, e vivemos nossa vida na terra também como crianças.”

- O Mundo de Sofia

sábado, 13 de agosto de 2016

Feliz dia dos Pais


Acordei e olhei para o lado, ele dormia tão tranquilamente. Como será que reagiria a notícia? Até que enfim eu poderia contar. Estava me segurando há duas semanas desde que descobri, mas hoje seria o grande dia. 
Levantei me da cama sem fazer barulho para não acorda-lo, mas sabia que logo mais ele iria despertar. Fui ao banheiro, lavei o rosto, arrumei o cabelo e alisei minha barriga. Eu não poderia estar mais feliz. 
Peguei em minha parte do guarda-roupa a caixinha que tinha a surpresa e fui para a cozinha preparar o café da manhã. Assim que terminei de arrumar a mesa coloquei a caixinha em frente ao seu lugar de costume.
Não precisei esperar muito até que sentisse o me abraçando por trás.
 - Bom dia querida - disse ele em meu ouvido. Eu sorri.
 - Bom dia amor. Está com fome?
 - Sabe que acordo faminto.
E era verdade, ele comia tudo que estivesse em sua frente depois de acordar. 
Peguei o café no fogão e juntos fomos para a mesa. Meu coração se acelerava mais a cada passo. 
 - O que é isso? - perguntou ele surpreso quando viu a caixa em cima da mesa. 
 - Abra - disse eu sorrindo. Ele tinha que fazer aquilo logo porque eu quase não me continha, iria chorar de emoção ou sorrir até minhas bochechas doerem.
Ou as duas coisas. 
Ele olhou desconfiado para mim e abriu a caixa. 
Seus olhos transmitiram choque, surpresa, ele sorriu e por fim seus olhos encheram de lágrima. 
 - Isso é sério? - perguntou ele tirando os sapatinhos amarelo da caixa com o teste de sangue que deu positivo e o bilhete que dizia: 
"O primeiro dia dos pais a gente nunca esquece. Feliz dia dos pais meu amor".
 - Sim - disse eu já entre lágrimas. Estava tão feliz por ele saber agora também. Ele veio até mim e me abraçou, me tirando do chão. - Feliz dia dos pais. 

sexta-feira, 29 de julho de 2016

[Resenha] Silêncio - Becca Fitzpatrick

No livro Silêncio, Nora acorda em um cemitério, após ser sequestrada, sem saber porque está lá, ou como foi parar lá. Para falar a verdade, ela não se lembra de nada do que aconteceu nos últimos cinco meses – era como se alguém tivesse arrancado uma parte de sua memória, mas ainda havia um sentimento em seu coração. O pior de tudo ao voltar para casa, é saber que Hank Millar, pai de sua arqui-inimiga, está namorando sua mãe, mas ele não parece uma boa pessoa e suspeitas o rondam. Nora tenta seguir uma vida normal, mas parece que os problemas a perseguem, e ela acaba indo no lugar errado, na hora errada e quase sendo morta e por sorte Jev aparece para salva-la, e no momento que Nora o vê, algo desperta dentro dela, a cor preta invade seus pensamentos e um calor paira por seu corpo. Eles já haviam se conhecido, mas onde? Ela sabe que Jev tem todas as respostas, e que algo os liga, mas Jev se recusa a contar o que sabe, e a ficar longe dela também.
"Minha história é longa, e não há muita coisa boa nela. Não posso apaga-la, mas estou decidindo a não errar novamente. Não quando os riscos são tão grandes, não quando envolvem você. Há um objetivo em tudo isso, mas vai levar um tempo. – Dessa vez ele me abraçou e afastou o cabelo do meu rosto, e alguma coisa dentro de mim se desfez ao seu toque. Lágrimas quentes trasbordaram de meus olhos. – Se eu perder você, perco tudo."
Nora acaba revendo seu velho amigo Scott, e este conta tudo que ela precisava saber e a ajuda a lembrar do passado, incluindo nefilins, anjos caídos e que Hank não se aproxima nem um pouco do mocinho da história, pelo contrário, Nora descobre que ele esteve envolvido em seu sequestro – e suspeita que ele esteja planejando algo maior ainda. Como se não tivesse já no que pensar, Jev aparece mais vezes em sua vida, e Nora sabe que precisa dele, só não sabe como explicar.
"[...] Jev dissera que eu não devia procura-lo, mas eu não conseguia parar de fantasiar sobre todas as diferentes maneiras pelas quais poderíamos nos encontrar novamente. [...] Acordei com o coração disparado e uma dor estranha dentro de mim. Era perfeitamente capaz de interpretar o sonho sozinha: apesar de ele me fazer sentir furiosa e confusa, eu queria vê-lo de novo."
Nora recebe a notícia de que sua mãe está no hospital, Hank a leva para lá, mas ocorre um contratempo no caminho: um acidente e depois ela descobre que foi proposital. Jev sabe do acidente e a leva para sua casa, bem, Jev tentou ficar longe dela, mas era impossível.
"Deslizei as mãos por seu peito, memorizando cada contorno de músculo. Inalei os mesmo aromas que havia sentido naquela primeira noite no Tahoe. Tracei os contornos de seu rosto com os dedos, explorando, curiosa, aqueles traços fortes, quase italianos. E, durante todo o tempo, Jev não movia. Apenas se deixava tocar de olhos fechados."
Algumas memórias começam a voltar à tona para Nora, e ela consegue lembrar de seu passado e fica furiosa com Hank, e acaba caindo numa emboscada e se vê obrigada a jurar liderar seu exército caso ele morresse, caso contrário ela e a mãe morreriam. Ela fica com medo do que Patch vai pensar dela, mas o amor deles pode superar isto. Por fim, para salvar Patch, Nora se vê obrigada a matar Hank, e se torna assim líder do exército nefilim dele, e ela sabe que agora terá uma grande batalha pela frente, e se pergunta se isto não vai destruir seu amor com Patch, o qual ela vai liderar um exército para destruí-lo.

Pág: 301.


Nota: 5 estrelas.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Ser feliz

[...] O homem precisa se libertar de seus sentimentos e sensações, para só então conseguir encontrar a paz e ser feliz.

O mundo de Sofia

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Surpresa para o namorado

Nada melhor  do que deixarmos feliz quem amamos, então que tal presentar seu amor de uma forma criativa e diferente? Fiz  uma caixa surpresa de café da manhã para o meu namorado, segue abaixo o resultado.

Kit café da manhã + caixa de presente + almofada + papel pardo (usado nos correios).
A ideia foi fazer uma caixa de café da manhã surpresa, ou seja, enrolar tudo no papel pardo e entregar na empresa dele como se fosse o correio, sem nenhum bilhete avisando que seria eu.  


Organizei os produtos de forma a caber tudo.

Por cima de tudo coloquei a almofada.
Depois de tudo organizado na caixa, hora de finalizar.




Escreva o endereço da empresa, o nome completo dele e os telefones para encontra-lo.



Pedi para uma amiga minha entregar em mãos para ele na recepção da empresa. Ele ficou surpreso, e depois enviou mensagens agradecendo e que tinha gostado muito. Missão concluída! 

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Novidades

O blog agora tem um instagram! Se eu estiver sumida por aqui, sempre vai ter algo no insta, então sigam lá.
@mylife__blog

terça-feira, 14 de junho de 2016

God

[...] Deus não é alguém que criou o mundo um dia e desde então é uma entidade à parte de sua criação. Não. Deus é o mundo.

O mundo de Sofia

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Conquistar


Olhei-me no espelho, estava quase pronta. Havia vestido a melhor roupa, os sapatos novos e dava o último retoque no batom. 
Hoje seria um grande dia, precisava impressiona-lo e conquista-lo.
Sai do quarto e caminhei para a sala.
Ele me olhou de cima a baixo e sorriu.
 - Você está linda - disse meu marido.
 - Posso dizer o mesmo meu amor.

O amor é algo a ser conquistado todos os dias.

sábado, 28 de maio de 2016

[Resenha] Crescendo, Hush Hush - Becca Fitzpatrick

Em Crescendo, segundo livro da saga Hush Hush, Patch se torna o anjo da guarda de Nora, de forma que o relacionamento deles tem que ser cauteloso, afinal anjos e humanos não podem se relacionar e as consequências podem ser dolorosas.

Anjo.
Levantei os olhos quando Patch disse meu apelido em meus pensamentos.
Estar perto de você, da forma que for, é melhor que nada. Não vou perdê-la. Ele fez uma pausa e, pela primeira vez desde que o conheci, vi uma sombra de preocupação em seus olhos. Mas já caí uma vez. Se eu der aos arcanjos motivos para imaginarem que eu estou remotamente apaixonado por você, eles vão me mandar para o inferno. Para sempre.






Nora decide tomar a atitude mais idiota da vida dela então, mesclada por ciúmes e dor, ela rompe com Patch, parecia o certo a fazer para salva-lo. Mas não é o suficiente para tira-lo da vida dela. Nem para afastar seu sentimento por ele.

Precisei de um momento para absorver suas palavras. Olhei para o Jeep. A parede de gelo entre nós havia desabado. A parede só estava ali por causa do Arcanjos. Sem eles, todas as brigas que eu e Patch tivéramos não significava nada. Eles eram o problema. Eu queria deixá-los, deixar tudo para atrás e fugir com Patch. Eu queria ser imprudente, pensando apenas no aqui e no agora. Juntos, poderíamos esquecer das consequências. Riríamos das regras, dos limites e, acima de tudo, do futuro. Haveria só eu e Patch, e nada mais importaria.

Nesse meio Nora acaba conhecendo Scott, ele é um nefilim que foi marcado pelo Mão Negra e ai a história começa a ficar um pouco mais interessante. Nora descobre que o Mão Negra está criando uma sociedade secreta de nefilins que se recusará a jurar fidelidade aos anjos caídos (para não ter o corpo “emprestado” durante o Chesvan) desta forma os anjos teriam que recorrer aos humanos, só tem um problema: Um corpo humano não aguentaria um anjo por muito tempo e milhares de pessoas morreriam todos os anos em apenas duas semanas. Já “não” tendo muito em que pensar, Nora descobre algo sobre Patch e Marcie (sua inimiga mortal) que inclui Marcie tendo a chave reserva do carro de Patch e seu boné.

Como eles podiam manter um relacionamento? Onde estavam os arcanjos quando se tratava de acompanhar Patch e Marcie? [...] Os arcanjos o haviam ignorado porque sabiam que não significavam nada para nenhum dos dois? Eu queria gritar por causa da injustiça de tudo aquilo. Marcie podia ficar com Patch porque não o amava, mas eu não podia, porque eu o amava e os arcanjos sabiam disso. Por que era tão errado que estivéssemos apaixonados? Os anjos e os humanos são assim tão diferentes?

E a surpresa com Marcie não acaba ai, Nora pega o diário dela e acaba descobrindo algo que pode mudar toda a sua vida e transformar o passado em uma mentira: Nora e Marcie podem ser irmãs. E como se não fosse o suficiente, tem sempre alguém tentando matar Nora, mas dessa vez é alguém muito próximo, e o melhor, alguém do mundo dos mortos vem alerta-la: seu suposto pai. Durante o fogo cruzado, por milésimos de segundos Patch aparece e consegue salva-la quebrando todas as regras impostas pelos arcanjos – o amor entre eles é maior, quaisquer que sejam as consequências depois.

Os olhos escuros de Patch me avaliaram. Por uma fração de segundos, vi uma série de emoções se alternarem dentro deles. Exaustão, preocupação e alívio. Ele cheirava a ferrugem, algodão-doce velho e água suja, e eu sabia que ele estava próximo quando o detetive Basso me encontrou nas entranhas da casa maluca. Ele tinha ficado ali o tempo todo, garantindo minha segurança. Ele me envolveu em seus braços e me apertou, prendendo-me contra si.

E quando parece que as coisas vão ficar boas, talvez melhorarem, Nora é raptada por alguém que jamais esperava ser o Mão Negra. E por alguém que pode ser seu pai.

Páginas: 288.

Nota: 5 estrelas 

terça-feira, 10 de maio de 2016

Amor, amor

Ela sabia que precisava dele. Pelo menos naquela noite chuvosa e sem grandes esperanças. Mas tinha medo da compulsão. De querer ele sempre e sempre e pra sempre. E amanhã e depois. E de dia, e tarde, de madrugada. E não saber digerir tanto amor e tanto amor acabar lhe fazendo mal. Só mais um pouquinho, pensou. Uma lasquinha. Pra dormir feliz. Amanhã era amanhã. Depois ela resolvia.


—  Tati Bernardi.

sábado, 30 de abril de 2016

Pequeno conto


O cheiro do café invadia a sala, poderia sentir este aroma todos os dias da minha vida que não me cansaria.
 - Metade do copo? - perguntou ele da cozinha. Espiei por cima do sofá e sorri. Ele sorriu também. - O que foi?
 - Nada - disse eu sorrindo - Metade do copo.
Ele trouxe dois copos com café e me deu um, sentou do meu lado e nos aconchegamos. 
Poderia estar com ele todos os dias da minha vida que não me cansaria. 

segunda-feira, 28 de março de 2016

[Resenha] Sussurro - Becca Fitzpatrick

Nora Grey é aparentemente uma adolescente comum, com uma vida normal – até aparecer Patch. Envolto por uma atmosfera sombria e um passado cheio de segredos e mistérios, ele desperta mais do que medo em Nora... atração.

“[...] O único porém é que isso não era bem verdade. Eu adorei o que vi. Músculos longos e esguios nos braços, ombros largos, mas relaxados, e um sorriso que era meio debochado, meio sedutor. Estava difícil convencer a mim mesma de que deveria ignorar algo que já começava a parecer irresistível.”

A história entre os dois começa na aula de biologia, onde “misteriosamente” o professor decide mudar todos de lugar fazendo com que a melhor amiga de Nora de espaço a Patch.

“- Os seres humanos são vulneráveis – prosseguiu Patch –, porque são capazes de sofrer.”

Ele se aproxima de Nora com o plano de usa-la para algo que ele deseja (nada de spoilers). E o problema de se aproximar demais é que podemos acabar nos apaixonando – Patch tenta seguir com o plano original várias vezes, mas parece impossível com a personalidade de Nora, que cada vez acaba surpreendendo-o mais e facilitando o envolvimento dos dois. Mas é claro que antes disso ele consegue irrita-la de todas as formas, ele sempre parece estar no lugar certo, fazer com que as coisas aconteçam do jeito dele, falar o necessário e se aproximar demais de seu corpo.

“Irritada, empurrei seu peito com força, Patch deu um passo para trás recuperando o equilíbrio.
                - Por que você fez isso? – perguntou ele.
- Por causa dessa noite toda. – Por me fazer ficar louca por ele quando eu sabia que aquilo era errado. Ele era o pior tipo de erro. Era um erro tão grande que parecia certo, e aquilo me deixava completamente fora de controle.”

Como se Patch não fosse suficiente para irrita-la, sua melhor amiga Vee faz amizade com dois adolescentes um tanto suspeitos, e um deles já foi acusado de cometer homicídio. Some isso ainda a um cara com máscara de esquiador que sempre aparece pregando peças em Nora, ilusões de mente e sustos contínuos de arrepiar. Ao longo de uma série de acontecimentos, Patch parece o suspeito de tudo, mas Nora se nega a acreditar (em parte, talvez), e parece que ele acaba sendo sua única solução e refúgio em determinadas horas (como após Nora ver um assassinato).

“Ele despiu o que estava usando por cima – uma camisa preta de mangas compridas –, ficando com outra também preta. Colocou a gola da camiseta sobre minha cabeça e em um momento depois enfiou meus braços nas mangas. A camiseta me engoliu, mas mangas penduradas bem abaixo da pontas dos medos. Sentia a combinação dos cheiros de tabaco, de água salgada e de sabonete de hortelã. Algo naquela mistura preenchia como um sentimento de segurança os vazios que eu carregava dentro de mim.  [...] ele me levantou, envolvi o pescoço dele com meus braços e escondi meu rosto em seu peito.”

Mas Nora sabe que Patch esconde um segredo grande, e ao ver as duas cicatrizes nas costas dele (em uma briga de bar com seu melhor amigo) em forma de um V ao contrário, algo desperta dentro dela. A palavra anjo caído surge em sua mente após algumas pesquisas, mas parece difícil de acreditar. A confirmação vem quando Patch usa truques em sua mente para faze-la achar que o carro está quebrado, obrigando-a passar uma noite inteira com ele em um motel (um pouco esperto ele, não?). Encharcados por causa da chuva, acidentalmente Nora toca nas cicatrizes de Patch, sabendo da verdade sobre ele e para o que ele queria usa-la.

“Não se esqueça de que as pessoas mudam, mas o passado não – disse Patch.”

O livro começa com três pessoas tentando matar Nora, e acaba com apenas duas tentando o homicídio, Patch consegue dar jeito em uma e após conseguir salvar sua melhor amiga do verdadeiro culpado, Nora se sacrifica para matar a outra pessoa, salvando não só Patch, mas também tornando o desejo de ele se tornar humano, realidade. Patch recusa o sacrífico dela e entre as regras dos céus Nora volta a vida, mas dessa vez com uma surpresa: Patch não é mais um anjo caído, mas também não é humano.

Páginas: 264
Nota: 5 estrelas.

(Impossível não ler, Becca escreve de tal forma que nos envolve, sem palavras difíceis e enrolação, o que torna melhor a leitura e faz com que você acabe o livro em menos de uma semana – não tem como falar dessa história sem se apaixonar, rir e chorar).  

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

A vida


[...] Mas a vida é triste e solene. Somos deixados num mundo maravilhoso, encontrando-nos aqui com outras pessoas, somos apresentados uns aos outros e caminhamos juntos durante algum tempo. Depois nos separamos e desaparecemos tão rápida e inexplicavelmente quanto surgimos.


- O mundo de Sofia

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Fim do mundo

O que você faria se soubesse que pode perder a pessoa que você mais ama por um erro seu? Que você conseguiu estragar tudo o que mais importava. Tentaria arrumar tudo? E se parecesse que não está sendo o bastante? Um pouco desesperador, não? Pois é. Não há palavras para descrever, angústia, tristeza, sentimento de odiar a si mesmo, sentimento de falha. É como uma dor que te dilacera por dentro e faz seus joelhos falharem até você cair no chão. E depois perder esse chão também. E não há castigo pior do que passar o resto da vida sabendo isso.
São planos e sonhos construídos que podem se desfazer ao vento e cara, isso é desesperador. Novamente esta palavra. Talvez seja isso que defina tudo no momento. Talvez eu deva me agarrar a ela como esperança. Esperança de que tudo fique bem e possamos ser felizes novamente, porque não dá para voltar ao passado, mas é possível melhorar o futuro.
Erros se tornam aprendizados e com um deste tamanho é impossível que aconteça novamente.
Precisei ir até a ponta do precipício para ver o tamanho dele, enquanto poderia ter observado a distância. Vi o fim do mundo e parece que estou vivendo ele nesse exato momento. 
Tudo o que fazemos geram consequências, vem com um preço, e esta está sendo uma catástrofe.  

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Quintana


Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande. As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela. Temos que nos bastar… nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém. As pessoas não se precisam, elas se completam… não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida. Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você. O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

Mario Quintana

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Carregando o título


Quando for fazer algo, independente do que seja, pense duas, três, quatro vezes. Pense muito. Para não fazer algo que possa se arrepender pelo resto de sua vida. 

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Aristóteles

Aristóteles acreditava em três formas de felicidade: a primeira forma de felicidade é uma vida de prazeres e satisfações. A segunda forma de felicidade é como um cidadão livre, responsável. E a terceira forma de felicidade é a vida como pesquisador e filósofo.


- O Mundo de Sofia

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Fases


É incrível como ideias para escrever podem surgir nos momentos mais inusitados, como por exemplo, no banheiro de um barzinho – claro que não escrevi este post lá, mas arquivei a ideia em uma nota mental, certa de que viraria um post.
Pois bem, estava eu num barzinho onde a entrada é permitida somente aos maiores de dezoito anos, mas eu me lembro bem de quando tinha 16, 17 anos e queria muito ir, o que não aconteceu, porque não e do meu feitio fazer um RG falso, fora isso, analisando toda a situação, sou grata de nunca ter ido lá antes da maior idade, estou certa que se tivesse frequentado o lugar aos dezesseis anos não seria tão legal quanto agora: aos dezenove.
Quando somos mais jovens queremos tudo do nosso jeito e no nosso tempo, mas as coisas não são assim e existe um limite para tudo, que só vamos entender quando crescermos. Alguns jovens poderão dizer sobre a emoção de entrar proibido, uma emoção que logo passa e te faz fazer coisas bestas só por estar em um lugar que não deveria, fora que como disse antes, a diversão não seria a mesma se você tivesse ido mais tarde, sabendo exatamente como curtir.
Existe diversão certa para cada fase da vida, e se quisermos apressar alguma delas, mais preocupações e problemas, muitas vezes permanentes, teremos. 

domingo, 10 de janeiro de 2016

Recomeço


Então começou mais um ano, e assim como o calendário mudou, este ano será diferente de tudo o que vivi até então. Novos desafios, metas e realizações, tais como o início da faculdade, a procura de um novo emprego e maiores responsabilidades.
Sobre o blog, é provável que eu apareça menos por aqui, mas não está nos planos abadona-lo.
Um ótimo 2016 à todos!!