quarta-feira, 15 de março de 2017

Aniversário


Dia 12 o My Life fez sete aninhos e caramba, mal acredito que venho mantendo o blog há todo este tempo (mesmo que raramente nos dias de hoje). Quero agradecer a todos que leem este cantinho e fico feliz de ver que alguns blogs estão comigo nesta jornada há algum tempo, é legal ver que blog que eu comecei a seguir no começo do My Life ainda estão presentes e postando seus textos, reflexões e poesias. 
E só para não perder o costume, neste aniversário temos mais uma promoção para interagirmos mais na blogsfera e conhecermos outros blogs de qualidade.
Para participar é simples, 
Seguir o My Life (aqui blogspot):
Nome do seu blog:
Um blog que você indica:
(Opcional) Seguir o My Life no instagram: @mylife__blog

Estarei colocando o link do seu blog na minha guia de 101 Blogs (que espero aumentar significantemente os numero) e postarei um texto de sua autoria com os devidos créditos aqui no My Life. A promoção vai até o final do mês, 31/03/2017.

Conto com a participação de todos e obrigada pelo carinho!

Raphaela Barreto

sábado, 4 de março de 2017

Encontros


Há sempre duas formas de encontrar toda a sua família e os amigos mais chegados ou antigos: casamentos ou velórios, sendo este ultimo o mais provável.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Graciosidade

Há uma certa graciosidade na vida, na forma como as coisas acontecem e mesmo não parecendo ter ligação, tudo se conecta. Como cada parte de nossa vida é marcada por fases e transições, onde pessoas chegam e vão, onde você amadurece, chora, ri e cresce. 
Lembro-me de ouvir meus pais falarem coisas quando eu era criança e bem, agora eu estou vivendo estas coisas, contas, faculdade, responsabilidades, o tempo correndo parecendo ter pressa para chegar em algum lugar e você não fazendo metade das coisas que gostaria. Até encontrar velhos amigos na rua e ter uma conversa de cinco minutos é normal. 
Começamos a divagar sobre outros assuntos em nosso cotidiano, a divagar sobre a vida, futuro e morte. E em falar sobre a morte, você percebe que é uma fila até chegar seu dia, primeiro seus avós, em seguida sabe que serão seus pais e advinha? Você é o próximo da lista. Então digo que há uma certa graciosidade na morte também, na forma como as coisas acontecem e mesmo não parecendo ter ligação, tudo se conecta. Como uma fase final, uma transição para o desconhecido. 
Nada é coincidência nesta vida, não existe um ao acaso, mas uma coisa sempre será certa, a vida e a morte, em um ciclo gracioso trazendo, levando e transformando tudo o que há no universo.  

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Autores da própria vida


“Somos como atores que são colocados num palcos sem termos decorado um papel, sem um roteiro definido e sem um ‘ponto’ para nos sussurrar ao ouvido o que devemos dizer ou fazer. Nós mesmos temos de decidir como queremos viver.”

 - O mundo de Sofia

[Resenha] Belo Casamento - Jamie McGuire

No livro Belo Casamento, escrito por Jamie McGuire nos deparamos com os detalhes do casamento de Abby e Travis (nosso casal de Belo Desastre e Desastre Iminente), qual foi o motivo que levou Abby a fazer o pedido, o que ambos sentiram minutos antes de se casar, quem estava lá e quem foi a única pessoa a saber desse casamento inesperado e inusitado. Lemos também sobre a noite de núpcias do Sr. e da Sra. Maddox, que foi bastante quente, e como foi feita a tattoo de Abby. E como America (melhor amiga da Abby) quase tem um infarto ao saber do casamento em que não foi convidada, um ano depois, na renovação dos votos uma festa com todos (família e amigos) é feita, incluindo uma “meia” despedida de solteiro para Abby e para o Travis – e garanto que você vai se divertir bastante com a despedida do Travis, seu irmão Trent perde uma aposta e faz algo bem...inusitado. Gostei bastante do livro, ainda mais porque a história é narrada pelos dois, e confesso que ver as coisas pelo ponto de vista do Travis é bem interessante e diferente.




Nota: 5 estrelas

Páginas: 123

sábado, 21 de janeiro de 2017


“A felicidade não é um destino. É um método de vida.” 

– Burton Hills

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Incógnita


Aumentei a musica e acelerei o passo até se tornar uma corrida. O que era para ser algo para esvaziar a mente se tornou minha pequena prisão de pensamentos, cada passo uma ideia enraizada enrolada pela musica através de minha mente, cada batida um novo pensamento. Uma confusão de idéias, um turbilhão difícil de explicar e uma vontade inexplicável de que tudo ficasse branco. Que eu pudesse me desligar e minha mente entrasse naquela caixa do nada, onde a paz reinasse, como quando nado; quando tudo o que me importa na água é bater as pernas e sincronizar os braços para não afundar, quando não há espaço para pensar, apenar sentir a água em meu corpo tirando me o calor e meu ouvido mal ouvindo sons no exterior, como puxar todo o ar e mergulhar e ficar lá concentrada em tudo ali embaixo e em nada em cima, como retornar a superfície e inspirar todo ar que conseguir para suprir a necessidade de meu pulmão que já protesta pela falta de oxigênio. Mas não, ali correndo nada disso aconteceu. Só pensamentos e mais pensamentos me invadiam enquanto uma intensa necessidade de corpo e alma cresciam em conjunto com minha vontade de me jogar na água e fazer tudo aquilo passar. Troquei a música, suspirei, aumentei o passo até me sentir exausta, sim, precisava ficar exausta, mas nada disso adiantou, e a ideia de que a vida é uma eterna ironia e que nós somos uma perfeita incógnita não deixou minha mente.