segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Um viajante solitário



Uma carta e um baralho
meu cavalo e a saudade
são as minhas únicas companhias.
Para trás deixei um amor
e senti muita dor
mas a falta do seu calor
ainda esta no meu pensamento.
Mas sei que ela me espera
sempre olhando para o horizonte
esperando com muita ânsia
a minha chegada.
Sou um viajante solitário
que fugiu da cidade
por não ser entendido
pelas pessoas ditas civilizadas.
Um poeta, um ser triste
um homem que não desiste
de impor seu pensamento
duvidas e tormentos.
Mas um dia eu vou voltar
e lutar pelo que é meu
um dia todos irão aceitar
esse dom que Deus me deu.
Neste dia então
eu olharei para o céu
rezarei um pai nosso
lembrarei que eu fui
um viajante solitário
e direi
- obrigado meu Deus!

Somos todos viajantes de uma jornada cósmica – poeira de estrelas, girando e dançando nos torvelinhos e redemoinhos do infinito: a vida é eterna. Mas suas expressões são efêmeras, momentâneas, transitórias. Gautama Buda disse certa vez: "Nossa existência é transitória como as nuvens do outono. Observar o nascimento e a morte do ser é como olhar os movimentos da dança. Uma vida é como o brilho de um relâmpago no céu, levada pela torrente montanha abaixo." Nós paramos um instante para encontrar o outro para nos conhecermos, para amar e compartilhar. É um momento precioso, mas transitório. Um pequeno parêntese na eternidade. Se partilhamos carinho, sinceridade, amor, criamos abundância e alegria para todos. Esse momento de amor é eterno.

Texto de Pedro Manuchelli.
Sim, somos todos viajantes nesse mundo - uns com a bagagem grande,
outros nem tanto. Está lindo o poema e o texto também.
Parabéns. 

2 comentários:

  1. Essa gratidão é linda! Deus é o eterno pai de todos os viajantes! :)
    Belo post, minha linda.



    Te desejo um ótimo restinho de tarde, uma excelente e abençoada semana.
    Um grande abraço.
    Tati.

    http://tatian-esalles.blogspot.com.br/

    Att.

    ResponderExcluir
  2. Oi Rapha, nunca mais vim aqui porque estava longe da blogsfera. Adorei voltar e ser recebida com este poema e texto maravilhosos e verdadeiros.
    Somos todos viajantes, uns já ficaram pelo caminho, morreram de sede ou fome. Nós que estamos aqui hoje não sabemos para onde é o dstino, então devemos aproveitar cada segundo antes da queda.
    Bjo Bjo e semana abençoada.

    http://www.soentrenosmulheres.co.cc/

    ResponderExcluir