sexta-feira, 5 de julho de 2013

Ponto de ônibus

Sabe, quando te vi sentado ali naquele ponto de ônibus...
Calça jeans, camiseta lisa, all star e meu livro favorito nas mãos.
Como não me apaixonar?
Como não me imaginar ao seu lado, discutindo sobre o final cômico?
Nos imaginar em uma tarde quente de domingo.
Pipoca, chocolate e Brilho Eterno de uma mente sem lembranças na TV.
Em sua cama, beijos, risadas e nossos roncos.
O ciúme que causou aquela briga, tapa na cara e reconciliação ao som de Clarice Falcão.
Nosso primeiro dia dos namorados, abraços e piadas que só nós entenderíamos...
Nesse momento paro.
Penso.
Como consigo me apaixonar por qualquer cara que me parece interessante?
Você se levanta e te vejo partir em seu ônibus que acabou de chegar.
A propósito, era esse o ônibus que eu também deveria pegar.

Um comentário: