segunda-feira, 22 de julho de 2013

Noite


A escuridão da noite me fascina, me distrai, me abstrai. Faz pensar em tudo e imaginar o nada. Faz querer você aqui ou eu ai. Faz te querer. Mas também tenho medo, medo do que ela esconde, do que em cada canto escuro possa ter. Medo do desconhecido, do inevitável e do surpreendente. Uma antítese se forma ai, não amo demais, mas também não odeio. No ponto certo. É, amo o desconhecido, mas o temo também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário