quinta-feira, 5 de abril de 2012

I love you

 
Ela andava em reconstrução, olhando para os cantos que pareciam estar vazios, mas estavam cheios. Olhava as pessoas que encontrava no seu caminho até chegar até a aconchegante biblioteca, e via frases estampadas, citações expostas que davam vida e muitas vezes falta de vida em algumas pessoas.
Tirou calmamente um pedaço todo amassado de papel, um embrulho de uma velha carta, que haveria ganhado a muito tempo. Hoje seria o dia, hoje seria o momento, depois de treze longos anos a única coisa que permanecia dentro de si eram as palavras daquela carta e a esperança de que tudo estava da mesma forma.
Entrou calmamente pela velha sala,  se sentou sobre a última mesa. E  ficou por um momento ali olhando para as lembranças. Por um momento sussurrou brava, e indignada.
-Não acredito o que estou fazendo aqui?
Realmente sair milhares de quilômetros, uma viajem tão cansada, para cumprir uma promessa era algo tolo e sem valor, "não devemos confiar tanto nas pessoas" dizia ela. Mas era ele. Sempre foi ele. Uma lágrima repousou sobre a carta, por anos tentou fugir e hoje tudo o que ela mais queria era ter ele perto, era poder fazer com que a ampulheta do tempo voltasse e recolhesse todas as rosas que ela havia jogado fora enviadas por ele.
-Você veio. -Uma voz balbuciava por detrás dela, uma voz que havia mudado que de fina, havia se tornado grossa, o que era jovem, havia se tornado homem. Ela virou calmamente sua face e pode perceber ele estava lindo, e seu sorriso demonstrou, que sua promessa havia se cumprido: "Te amarei para sempre".
 
Texto de Karine Cassol, 
do blog Dreamer
Perfeito não?

Um comentário:

  1. Ah os textos da Karine são perfeitos! Esse então é muito lindo, *--*
    Beijos!
    rascunho-errado.blogspot.com

    ResponderExcluir