terça-feira, 6 de junho de 2017

Me dê um gole de vida

Vejo
Passarem os dias
As semanas
Os meses
Os anos

Sinto
Tudo
Sinto
Muito
Não te sinto

Nas noites
Choro
Escutando os gritos
Do silêncio

Inundo o quarto
Com preces 
Sussurradas 
E adormeço

Desperto 

Com o cantar dos pássaros
E se tem início
A batalha interior

Vontade 
De encarar a vida
Não mais 
Porém o coração
Ainda arde




Daniela Silva
Fui obrigada a criar uma tag com o nome da Dani, de tantos posts seus que escrevi aqui.
Infelizmente seu blog está desativado, mas os poemas são maravilhosos.

7 comentários:

  1. Eterno desconforto
    o das dúvidas
    num belo Poema...

    Deixo o desejo de um feliz dia
    e beijinhos de aqui da Serra ~_````

    ResponderExcluir
  2. Às vezes isso é tudo o que queremos, aquela vontade de encarar a vida da forma que ela é. Esses versos são tão ntensos e me faz pensar o quanto podemos ficar estáticos dentro de nossa própria vida. Tão lindo seu espaço *--* Beijos e boa quarta! :D

    ResponderExcluir
  3. Poema que retrata bem a revisão que fazemos de cada dia ao pousarmos a cabeça no travesseiro, e também a revisão que fazemos de tudo na vida às vezes.

    :)

    ResponderExcluir
  4. Realmente achei belo, dolorido, parece verdadeiro! Será que é?
    Mas como diz Fernando Pessoa...


    O Poeta é um fingidor
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  5. Lindo poema!!
    Ainda que nosso corpo se canse, que nossa vontade padeça e as forças se acabem, o coração continuará ardente por mais vida e intensidade.
    Abraço carinhoso!!

    ResponderExcluir
  6. Que fabuloso, um poema lindo! Bela partilha!

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  7. Menina eu amava o blog dela!!! Pena que foi desativado, um texto/poema melhor que o outro!
    Beijos!
    https://livrosamoremais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir