domingo, 22 de março de 2015

Kauan

"Amor. Não sei dizer o que é, como acontece ou porque vem, o que sei é que nunca havia experimentado sensação de amar tão grande quanto essa.
Só me pergunto como uma pessoinha tão pequena pode despertar um sentimento tão infinito."



Layanne Rezende, do blog: Baú de Pensamentoso link desse post é este.
Obrigada Layanne, por ter participado do aniversário do blog.
Adorei o que escreveste sobre o o amor, realmente não sabemos como ele vem, ele apenas acontece.

7 comentários:

  1. É sempre um prazer participar dos eventos aqui no My Life!

    ResponderExcluir
  2. Tem gente que tem o dom de tocar na nossa vida...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Família é essencial, gostei.
    Se gostar de algum post no meu blog, pode postar aqui.
    =)

    ResponderExcluir
  4. O amor
    é como uma flor...

    Xoxo de aqui dos calhaus frios da Serra~_*

    ResponderExcluir
  5. Adorei a frase, simplesmente brilhante. É assim mesmo o amor :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  6. O amor é simplesmente sublime!
    ótima semana Rapha

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. O Cientista

    Amor...
    Sensato seria vive-lo em sua essência
    A simplicidade de um momento
    Na sinceridade de um abraço
    Na resplandecência de um sorriso
    No calor de um beijo
    Mas como acondicionar um Universo de sentidos e emoções em
    receptáculos tão frágeis?
    Onde encontra-se a sensatez de um sentimento perfeito
    sentido por criaturas imperfeitas?
    Lúcido seria abdicar de tal incoerência
    Viver no mundo de racionalidade;
    Números, fórmulas e sapiência
    Cosmo da razão!
    Onde o amor é facilmente traduzido como uma resposta
    psicológica e nada tens a ver com sua essência.
    Porém de que serve tal lucidez se a razão rende-se as
    incógnitas de um sentimento atemporal e prófugo?
    Livre!
    De tudo que o tenta confinar,
    Não existem leis, não existem reis, nem fronteiras
    Uma mescla intangível entre realidade e utopia
    Onde o certo e errado se emaranham em uma ligação quântica
    e a massa do ser que o sente passa a te-lo como realidade única
    e irrefutável
    Assim, um a um, todos os muros que traziam segurança e serenidade desabam,
    e de uma maneira insensata, aprende-se a
    Dançar!
    Uma valsa entre o prazer e a dor,
    o sofrer e o querer...
    o sorriso e o pranto.
    Pranto esse, velho amigo de quem ama.
    pois comparado a paixão que é chama
    o amor revela-se uma reação atômica
    com o poder de aquecer ou devastar o coração
    que o tem dentro de si.
    Mas pouco sabe sobre isso
    o velho coração que aqui bate
    Que sofreu por um amor proibido e decidiu
    entregar-se a razão.
    Que escolheu o caminho mais fácil a arriscar-se na emoção
    Que sofreu outrora por um amor que não podia acontecer
    Corações que batiam no mesmo ritmo
    Desejos que se encontravam,a cada palavra, a cada toque, a cada olhar,
    a cada gesto, a cada sorriso
    beijos e promessas, sonhos e esperanças de um amor
    que nasceu como uma rosa na aridez do deserto;
    da maneira errada, no lugar mais improvável
    E foi a coisa mais perfeita que pode-se viver.
    Almas que se completam e que vivem separadas
    por desavenças do destino e pelo medo de arriscar
    Tudo o que sei sobre o amor está nos livros...
    Poderia declamar sobre o amor por versos e versos
    Mas comparado ao seu real significado seriam apenas
    palavras ao vento.
    Quem dera a ciência pudesse explicar, a física quantificar, a química reproduzir
    e a matemática prever, mas como cientista descobri;
    o amor não é nenhuma ciência.

    ResponderExcluir