segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Incógnita

Isolo-me em um mundo onde fui colocada sem minha permissão. Sempre morrendo aos poucos todas as noites. Fazendo perguntas sobre coisas que ninguém sabe responder. Sinto medo dos novos dias, mas, me alegro com as descobertas. Mesmo assim, não me encontro, procuro sempre por algo que eu não sei o que é, mas desejo encontrar. Um sentimento bipolar de querer colo e querer estar só. É a sensação de olhar no espelho e ver a imagem desfocada. De tentar andar pelo caminho certo e acabar tropeçando nos trilhos. Correr para tomar um banho de chuva e no mesmo instante abrir o sol. É falhar e falhar constantemente e mesmo assim despertar para o trabalho na manhã seguinte. Aquela sensação de viver em uma roda-gigante. É o momento onde se descobre que seu segundo nome sempre foi incógnita.

7 comentários:

  1. O eterno desejo do saber
    faz-nos viver...Bonito Post

    Um xoxo enorme Bonita
    de aqui da Baía Azul
    e boa semana também~_*

    ResponderExcluir
  2. As perguntas mais simples são as de respostas mais difíceis.

    beijo

    ResponderExcluir
  3. Tem perguntas que nunca encontraremos respostas.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Mas as respostas são outras perguntas , simples assim...

    Simplesmente simples, Sempre morrendo aos poucos todas as noites...

    ResponderExcluir
  5. O importante não são as boas respostas, mas sim as boas perguntas.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  6. Que texto fantástico! A vida é mesmo feita de incertezas...

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  7. Passei pra desejar
    uma feliz semana.

    ResponderExcluir