segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Entre pais e filhos

Todo mundo pressupõe que pais e filhos saberão se relacionar, como se isso acontecesse automaticamente. Mas não é bem assim. Precisamos cultivar, se quisermos que exista uma relação de amizade e companheirismo. Dedicar tempo, como em qualquer outro relacionamento, participar de sua vida, expressar seus sentimentos, retribuir os gestos carinhosos, demostrar interesse, compartilhar experiências, cuidar um do outro, zelar pelo seu bem-estar. Enfim, a relação com nossos pais não deve ser diferente da que mantemos com outras pessoas, nossos amigos, por exemplo. Se pensarmos assim, será mais fácil fortalecer os laços que nos unem, e estabelecer um relacionamento sólido.
Anna Osta

Crescer na Terra do Nunca

3 comentários:

  1. Entendo muito mais meu pai e minha mãe agora que na minha infância. Acho que a maturidade fez eu ver os atos deles de maneira diferente. E como sai de casa, tento aproveitar o tempo que eu passo com eles com mais proveito.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, se bem cultivada, será a relação mais bela. beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Não podia concordar mais com este texto. É sempre preciso envolvimento a nível emocional, envolvimentos e momentos importantes. Gostei imenso da bonita referência :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir