segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Um final de semana no Oeste da Irlanda

E lá vamos nós de novo para mais um final de semana de viajando. Como o último post, alugamos o carro no aeroporto, porém na sexta-feira a tarde e seguimos viagem para Galway, a viagem foi tranquila, mas antes de chegar nesta cidade, fizemos uma parada em Athlone para visitar o bar mais antigo do mundo: Sean's Bar. Foi construído em 900 D.C, dá para acreditar? E o interior mostra bem isso: cheio de objetos antigos, inclusive um pedaço da parede que comprova a idade do pub. O lugar é bem pequeno, mas aconchegante - mas não passamos a noite lá, tínhamos que seguir viagem para nosso hostel em Galway, o mais rápido possível, já que estava escurecendo.



Então chegamos em Galway e ai começa noite mais bizarra que tive em minha vida. Primeiro começamos pelo hostel, ao chegar não sabíamos muito o que esperar, mas certamente não era aquilo. Entramos por uma portinha minuscula e escondida que demoramos várias voltas no quarteirão para encontrar, ao entrarmos procuramos pela recepção, e bem, achamos a placa de recepção na porta e ao abrir... Era a cozinha. Sim, a recepção e a cozinha eram juntas, mas isso não seria problema se não tivesse tanto lixo espalhado por lá. O dono do hostel era mais bizarro ainda, um senhorzinho de cabelo e bigode branco que parecia surgir das paredes quando precisávamos dele. Quando entrei no meu quarto, estava tendo uma festa e ai o senhorzinho expulsou todos de lá. Havia toalhas nos corrimões, cabelos pelo chão, carpete saindo das escadas e um canto onde havia madeira, cama quebrada e até uma bicicleta jogada. Ficamos o mínimo de tempo possível nesse lugar e ai fomos conhecer os pubs por perto e ai percebemos que estávamos na cidade mais noturna de todos os tempos: pubs em todas as esquinas e jovens, pessoas de meia idade e até idosos bêbados na rua saindo dos pubs, e eu e meus colegas ficamos tipo "????????????". Foi bizarro, porque não eram uma ou duas pessoas bêbadas, mas sim várias e de todas as idades. Inclusive nos pubs haviam pessoas de mais idade bebendo e dançando, sabe aquele ditado de que idade está na cabeça de quem quer? Galway faz jus à esta frase e ninguém tinha muita idade. Parecia que a cidade inteira estava nos pubs a noite, e o mais bizarro ou engraçado, é que no dia seguinte (sábado) as lojas começaram a abrir por volta de onze horas/meio dia, como se todos tivessem perdido hora por terem ficado bebendo e dançando na noite anterior.

Centro de Galway

Na cidade louca ainda conhecemos a catedral que é muito bonita e seguimos viagem, tínhamos muito ainda o que visitar e um roteiro a seguir!





O cenário ao redor da estrada é maravilhoso, digno de filmes, e uma notinha: fique bem atento porque há várias ovelhas e cabras soltas perto da estrada, e mais atento ainda para as placas de castelo, porque há vários espalhados ao longo do caminho, ou pelo menos a ruína deles.







Seguimos viagem para Connemara, onde há um castelo magnífico: Kylemore Abbey - que infelizmente não visitamos o interior por ser caro (vida de estudante não é fácil), mas sua aparência por fora já diz muito sobre seu interior.


Seguindo viagem para a cidade de nosso hostel (Doolin), encontramos mais um castelo ao lado da estrada, estava fechado, mas valeu para as fotos. 


Acrescento já sobre o hostel de Doolin, que é maravilhoso, chama-se Rainbow Hostel, é aconchegante e bem pertinho dos Cliffs of Moher - nosso roteiro para o domingo, e o dono do hostel nos contou várias dicas sobre lugares para visitar e por quais estradas dirigir.
E então finalmente domingo: fomos para os Cliffs os Moher por volta de oito horas da manhã, bem antes dos ônibus de excursões chegarem, então nossas fotos não ficaram com turistas ao fundo. O lugar é magnífico, maravilhoso, estupefato e perigoso. O que tem de bonito, tem de perigoso, já que são penhascos gigantes e embaixo o oceano bate em várias rochas, mesmo assim vale muito a pena ir conhecer, há uma cerca de proteção (que não seguimos e fomos pela trilha ao lado do penhasco, com toda cautela do mundo e que nem por um segundo chegamos perto da beirada).





Nossa próxima parada foi na estrada do Condado de Clare, onde achamos este lugar maravilhoso e paramos com o carro no acostamento. 






Por ultimo ainda visitamos as ruínas de uma igreja no meio do nada depois de uma trilha que passava por várias vacas gigantes e assustadoras que nos renderam várias risadas.



Chegamos ao centro de Dublin por volta de oito horas e desta vez não tão cansados quanto a visita para a Irlanda do Norte. 
P.S: Não falei o nome do hostel de Galway para mais alguém ter essa história para contar.
P.S²: Já estou no Brasil, mas sem tempo de postar devido aos estudos para vestibular.