quarta-feira, 30 de outubro de 2013

[Resenha] As Valkírias - Paulo Coelho

As Valkírias de Paulo Coelho conta uma viagem real que ele próprio e sua esposa, Chris, fizeram ao deserto. Ele, e consequentemente sua esposa, queriam aprender a ver e a conversarem com seus anjos. Para aprenderem, ambos vão atrás das Valkírias, mulheres do deserto que fazem pregações e detêm um conhecimento muito grande. Nesta jornada uma pequena disputa feminina entre Vahalla (uma das Valkírias) e Chris surge, uma vez que Vahalla se sente atraída por Paulo. Nesta aventura aprendemos desde o deserto que pode nos matar em minutos, até como nós próprios somos instrumentos dos anjos. A aventura vivida por Paulo e sua esposa é fascinante, instigadora e um aprendizado inimaginável – é incrível como ignoramos coisas tão simples, bonitas e do dia-a-dia. Se Paulo e Chris conseguem ver ou conversar com seus anjos? Só lendo para saber e adianto que o final é maravilhoso.


O que eu achei: Como já virei fã do nosso querido escritor, mago e ocultista Paulo Coelho, sou meio suspeita de expor minha opinião sobre o livro – uma vez que amei esta obra dele e todas as outras que já li. Em As Vailkírias, Paulo nos ensina tantas coisas que acontecem em nosso cotidiano, mas que estamos de olhos fechados para ver. “O mundo é daqueles que não tem medo de seguirem seus sonhos”. Para lerem as citações deste livro (e de outros dele também), clique no marcador Paulo Coelho, (ou aqui, e aqui) que se encontra no final deste post, perto dos comentários – não vai se arrepender, nem de ler as citações, nem de ler os livros.

Páginas: 239.


Nota: 5 estrelas. 

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Presença


Olhei a lua, esvaziei a mente e tentei esvaziar a segunda também. Aos poucos fui sentindo a grandeza do mundo, e que mundo! Senti a brisa tocar meu rosto e meus pelos se eriçarem – eu podia sentir. Meus olhos se encheram de lágrimas, eu sabia que era observada, só tinha que vencer o medo. São maravilhosas as coisas que Deus faz e eu sabia que não estava sozinha ali. É incrível os segredos que existem entre o céu e a terra, entre o amor e a dor, entre avida e a morte. É incrível ver como Deus nunca falha. 


Raphaela Barreto
Para quem leu "As Valkíras" de Paulo Coelho, certamente entenderá. 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Ser humano.


As pessoas estão se esquecendo do que a vida é feita,
Do que vale a pena lutar.
Maldito lirismo que me possuí e me faz pensar no grande globo em que vivemos,
Maldito lirismo que me toma e me faz ter pena da sociedade,
Maldito capitalismo que faz meu lirismo ser triste,
Ser crítico,
Ser poeta.
Desumanos que me fazem humana,
Ser humana,
Ser humano.

Raphaela Barreto 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Amor


[...] É fácil entender que sempre existe no mundo uma pessoa que espera a outra, seja no meio de um deserto, seja no meio das grandes cidades. E quando estas pessoas se cruzam, e seus olhos de encontram, todo o passado e todo o futuro perde qualquer importância, e só existe aquele momento, e aquela certeza incrível de que todas as coisas debaixo do sol foram escritas pela mesma Mão. A Mão que desperta o Amor, e que fez uma alma gêmea para cada pessoa que trabalha, descansa e busca tesouros debaixo do sol. Porque sem isto não haveria qualquer sentido para os sonhos da raça humana. 

 - Paulo Coelho,
O Alquimista

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Igual

"[...] Para ela todos os dias eram iguais, e quando todos os dias ficam iguais, é porque as pessoas deixaram de perceber as coisas boas que aparecem em suas vidas sempre que o sol cruza o céu."

Paulo Coelho, 
O Alquimista.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Tecnologia


As pessoas buscas desesperadamente por algum tipo de afeto. No mundo em que vivemos todos vivem conectados 24h, mas se desconectam das coisas que estão ao redor. Afastam-se do calor humano, preferem mexer em um celular a conversar com alguém. Fecham-se e perdem-se em si próprios e não conseguem se achar, se alienam, ficam loucas e toda esta loucura alienada está parecendo lucidez. As pessoas não sabem mais conversar, não sabem ver que o mundo não está em tela com pixels. Se a tecnologia veio para ajudar-nos? Claro que veio, mas tem muita gente não sabendo usar. Tem muita gente esquecendo-se de viver a vida. E quando vem qualquer faísca de sentimento ou simplicidade tornam isso algo grande e intenso – sem necessidade, e depois se decepcionam. As pessoas estão acostumadas ao mundo dos pixels e a praticidade que se esquecem de que o mundo é muito mais que isso. A vida é uma só para darmos valores às coisas erradas e que se for para ter um vicio, que seja por algo de valor, por um sabor a mais na vida e algo que faça seu coração acelerar, não por um objeto qualquer e substituível.  
Raphaela Barreto

“Quando a tecnologia ultrapassar a interação humana, haverá uma geração de idiotas.” – Albert Einstein 

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Notinha do Paulo.

"Se você sair prometendo o que ainda não tem, vai perder sua vontade de consegui-lo."

 - Paulo Coelho, O Alquimista

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

[Resenha] O alquimista - Paulo Coelho

O livro conta a história de um pastor de ovelhas cujo sonho (Lenda Pessoal) é sempre viajar. Este pastor começa a ter sonhos sobre um tesouro e resolve visitar uma cigana e esta diz que seu tesouro está nas pirâmides. Quando o pastor estava prestes a desistir de sua Lenda Pessoal ele encontra o velho rei de Salém, e este diz que as pessoas não devem desistir do que mais querem em sua vida. Decide ele então ir em busca do seu tesouro e cumprir sua Lenda Pessoal. No trajeto ele aprende a Linguagem Universal e compreende a Alma do Mundo, conhece o povo do deserto e se apaixona por uma mulher que o faz entender que o amor não impede que as pessoas abandonem o que mais querem na vida, o amor faz as pessoas quererem ser melhores. Ele conhece também um alquimista, e ao lado do alquimista ele tem a certeza de que só uma Mão criou tudo, e que tudo já foi escrito por esta Mão. Nesta aventura o simples pastor de ovelhas vai descobrindo os mistérios da vida. O final do livro é surpreendente e faz nos pensar em nós, na nossa vida e o que acontece ao nosso redor.

O que eu achei: O livro é simplesmente foda (desculpem a palavra, mas outra não definiria melhor). O Alquimista foi o primeiro livro que li de Paulo Coelho e já virei fã de carteirinha. A mensagem transmitida no livro é sensacional, pode parecer uma história boba “ah um pastor de ovelhas que vai atrás de um tesouro, legal”, mas é muito mais que isso. Você se envolve de tal maneira na história que fica impossível parar de ler e vai refletindo sobre sua própria vida também. Em breve estarei publicando algumas citações do livro, é só clicar aqui, ou aqui para ler.

Páginas: 200.


Nota: 5 estrelas. 

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Citação

"Quando a gente vê sempre as mesmas pessoas terminamos fazendo com que elas passem a fazer parte de nossas vidas. E como elas fazem parte das nossas vidas, passam também a querer modificar nossas vidas. Se a gente não for como elas esperam, ficam chateadas. Porque todas as pessoas têm a noção exata de como devemos viver nossa vida. E nunca têm a noção de como devem viver as suas próprias vidas."
 - Paulo Coelho,
O Alquimista.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Amar


Amar é uma confissão. Amar é justamente quando um sussurro funciona melhor que um grito. Amar é não ter vergonha de nossas dúvidas, é falar uma bobagem e ainda se sentir importante. É lavar louça e nunca estar sozinho. É arrumar a cama e nunca estar sozinho. É aquela vontade danada de andar de mãos dadas durante o dia e de pés dados durante a noite.

-Fabrício Carpinejar

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Soco no estômago


Não temos mais tempo para brincar, a vida cobra e então é hora de crescer. A sociedade nos obriga a isso e é difícil dizer adeus para muita coisa que amamos e fizeram parte de nós. As responsabilidades aumentam e é hora de desempenhar papel de gente grande. Quem diria que crescer seria tão chato e eu que não via a hora quando era criança. Se vou ganhar novas experiências? Claro que vou, mas a simplicidade parasse não habitar o mundo adulto, e eu gosto do simples. Me apaixono pelas simples coisas que me fazem sorrir. Como diria Clarice, a vida é um soco no estômago
Raphaela Barreto