terça-feira, 28 de maio de 2013

Crer


As pessoas precisam acreditar em alguma coisa para poderem levantar da cama. Não importa se é no cristianismo, espiritismo, hinduísmo ou budismo, o importante é crer em algo. Certa vez ouvi dizer que religião gera guerra, não é a religião que gera guerra, e sim a ignorância do homem. Algumas pessoas simplesmente não sabem aceitar outra cultura, há um Deus, que pode ser atendido por diversos nomes, por que não? Ou então nações inteiras seriam condenadas porque nós temos uma cultura diferente deles – pouco sensata essa afirmação. Todos sabem o que é certo e errado, qual caminho seguir e onde a felicidade de cada um se encontra, por que não seguir em direção ao que queremos? Cada um tem que ser livre para ir e vir, e acreditar naquilo que acha certo, e acima de tudo, ser grandiosamente feliz.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Resenha: O diário de Anne Frank - Francine Prose.


Francine Prose faz uma crítica literária e defende que o diário é uma obra de arte, um texto literário pensado e planejado. Os originais comprovam que Anne escreveu pensando em seus futuros leitores, reescrevendo e editando inúmeras passagens. Ela se via como uma escritora - e era de fato talentosa, como se vê por sua habilidosa construção de diálogos e personagens, seu olho para os detalhes, seu domínio do ritmo da narrativa. Além de fazer uma análise literária da obra, Prose conta a trajetória de Anne e sua família, chamando a atenção para detalhes em geral ignorados. E reflete sobre as discussões e produtos gerados a partir do livro - o Museu Anne Frank, a peça de teatro e o filme realizados a partir do Diário, as teorias que negam a autenticidade da obra, além da adoção do livro em escolas e o uso feito por professores em sala de aula.

O que eu achei: A crítica é de fato interessante e um ótimo livro para os fãs de Anne. Conta não só a história de Anne, como também o meio em que ela vivia, como era a escola dela e como se encontrava a Holanda em 1940. Cita alguns amigos dela, vizinhos, possíveis suspeitos que poderiam ter denunciado o Anexo Secreto e todos que ajudaram os judeus naqueles dois anos. Francine também relata de como o livro se tornou peça de teatro e como chegou ao cinema, citando ainda como o livro é usado nas escolas. Até a metade dele, onde conta a ida de Anne para Bergen-Belsen a leitura é constante, se tornando um pouco maçante a partir das citações do teatro, mesmo assim recomendo o livro.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Silêncio

Nas intensas ondas me jogo
Há uma forte pressão na superfície
Não luto contra essa força
Posso sentir a água salgada percorrendo minha traquéia
Estou afundando
Afundando
Com os pulmões ficando encharcados vislumbro as profundezas
Silêncio
Aqui tudo é mais calmo
No fundo tudo é mais é lindo

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Meus Passos


Mudaram-se as estações e tudo que eu conhecia. Agora estou sozinha, eu fiz mais de mil canções que eu nunca pude cantar porque eu saí de linha. O espelho me envelheceu, e agora eu vejo você e penso “como ele cresceu”. Tentei deixar meus passos, queimei meus pés no asfalto, mais um de nós morre e eu nem sei seu nome. Revejo fotos do passado, tiro a poeira de rostos manchados, o tempo me foi cruel, rasgo meus sonhos como papel, [...] E eu nem sei seu nome.

Música da Bruna Rosa, para ouvir clique aqui.
Recomendo.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Notinha

Quero agradecer a todos que participaram da promoção no blog, e quero agradecer mais ainda aqueles que vem acompanhando desde sempre meu cantinho. O blog vai voltar a sua programação normal e em breve terá novas promoções. Um grande beijo a todos!

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Diferente


Um sorriso estampado nos lábios e travessura nos olhos, somos jovens e só queremos nos divertir. O cheiro do tabaco invade o ar, as garrafas vazias ao lado e no céu a lua iluminando tudo. Amigos reunidos de velhos e novos tempos, conversas e risadas rolando fácil. Somos vistos como desertores de uma causa nobre pela sociedade, o olhar indiferente dos alienados paira sobre nós, julgando-nos. O certo e o errado são apenas pontos de vistas diferentes, o bom para mim pode ser o errado para outro. O poder de julgar uma pessoa não cabe a ninguém nesse mundo, temos nossos motivos para agirmos da maneira que queremos. E por uma noite, só queremos aproveitar, sem se preocupar com o mundo lá fora, se desligar algumas horas dos problemas mundanos e admirar as estrelas, porque sabemos que no outro dia tudo volta ao normal e teremos que ser como fantoches do capitalismo. Dizem quem somos livres para fazer o que quisermos, mas a verdade é que somos livres para fazer o que queremos de acordo com o que a sociedade impõe, mas não hoje. Seremos livres de acordo com o que queremos e o momento é que importará – não há nada melhor do que os amigos do lado, alguém para chamar de meu e muitas risadas para dar.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Lata

Uma lata existe para conter algo
Mas quando o poeta diz: "Lata"
Pode estar querendo dizer o incontível

Uma meta existe para ser um alvo
Mas quando o poeta diz: "Meta"
Pode estar querendo dizer o inatingível

Por isso, não se meta a exigir do poeta
Que determine o conteúdo em sua lata
Na lata do poeta tudonada cabe
Pois ao poeta cabe fazer
Com que na lata venha caberO incabível

Deixe a meta do poeta, não discuta
Deixe a sua meta fora da disputa
Meta dentro e fora, lata absoluta
Deixe-a simplesmente metáfora

(Gilberto Gil)

Música tirada do Blog da Layanne Rezende,
E que façamos a metáfora. 

sábado, 4 de maio de 2013

Completos



Em suas metades
eu me encontro.
Em meus meios sorrisos
você sente demasiada alegria,
nesses meios termos
nós nos sentimos completos.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Na janela



Nobre dama na janela
me observa de soslaio.
Quem é ela? Quem é ela


na janela? É Maio! é Maio!
Ai, meu Deus, e como é bela!
Dela sou pobre lacaio...

Ai, que boca! a boca dela
mata mais que tiro, raio...
Nesse abismo eu caio, eu caio!

Quero amar somente ela!
Pois que tudo antes de Maio
foi passado, mero ensaio...

Poemo do blog Caderno, do André Foltran.
Bem vindo Maio, e que seja maravilhoso!