segunda-feira, 30 de abril de 2012

O Tempo


O tempo está passando rapido demais e isso me incomoda. O tempo está voando e quando percebo já se passou um grande periodo de dias e semanas. Talvez eu esteja mais desligada, ou talvez fazendo coisas demais. Não sei. Só sei que o tempo está passando, e o tempo não espera ninguém. Ou acompanhamos o tempo ou somos deixados para trás. E eu não quero ficar para trás - duvido que alguém queira.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Adeus


Todos se vão um dia. Uns mais cedo, outros mais tarde, e tudo o que fica é a saudade e as lembranças. Dizer adeus não é fácil, mas é preciso. E quando sentir saudades, é só vasculhar em sua mente um pedacinho da pessoa. Um momento com ela. E comigo não vai ser diferente. Jamais irei esquecer do sorriso dele, dos palavrões, dos xingamentos, das piadas e daquele jeito unico e especialmente de ser. Jamais irei esquecer daquele que brigava com sua mulher e que no momento seguinte estava beijando-a. Daquele que se emocionava facilmente e que fez tudo o que queria enquanto podia. Sentirei falta. E aqui, me despeço de José Gama, mais conhecido como vovô, que aos 88 anos foi para uma melhor, deixando filhos, netos, bisnetos, genros, esposa - deixando a familia. Te amo vovô.

domingo, 22 de abril de 2012

Batalha


Tem algo aqui dentro querendo sair, mas tenho medo de liberta-lo, pois sei que talvez não seja bom o que vai sair. Tenho medo de decepcionar quem eu amo e quem me ama. Tenho medo de falhar para com meu Pai. Simplesmente tenho medo. Ás vezes a vontade de libertar é grande, mas lembro que não posso. Tenho que lutar contra isso. Tenho que lutar contra mim. Se toda vez eu deixar um pouquinho escapar, isso ira se tornar habito, e eu não posso deixar que isso aconteça. Tenho que me fazer forte ao dizer não. Mas dizer não ás vezes é tão dificil. Ah, como eu queria que tudo fosse igual antes. Não sabia de muita coisa; não sabia do que estava em risco. Agora que sei, tudo muda. Tento lutar e ás vezes perco. Sei que nem todas as guerras irei ganhar, mas na batalha quero me fazer vitoriosa.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Minha Utopia


Todos temos uma ideia de Utopia (para quem não sabe, é uma sociedade "perfeita" que não existe).
E estava eu aqui pensando, em que tipo de Utopia gostaria de viver, e descobri que não foge muito á Utopia de Thomas More.
Gostaria de viver em um mundo sem desigualdade social, sem classes, sem preconceitos, sem um governo certo, com todo mundo sabendo seu lugar, seu dever e ajudando o próximo. Seria perfeito. Seria.
Algo assim está longe de acontecer, claro. Enquanto o homem deixar o dinheiro valer mais que uma vida, nossa sociedade nunca vai mudar.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Simples


Algumas pessoas passam na nossa vida, deixam sua marca e se vão. Todos aparecem por um motivo. Todos tem que aprender e que ensinar. Todos tem um propósito. Uns demoram, outros não. Simples.

sábado, 14 de abril de 2012

Porque só assim vivo

Há coisas muitas vezes que se é preciso analisar cada detalhe. Como a sincronia em uma dança, como as batidas de cordas, que juntas formam a mais bela canção. Cada passo, cada movimento, tudo depende de nós, somos nós quem criamos a sincronia, somos nós quem criamos o ritmo, a momentos que se é preciso um ritmo alegre, outros tristes, tudo vária dependendo de cada linha escrita.
Solto, livre.  Olhar para cima, estender as mãos e sentir gotas de chuva caírem sobre você. Dançar.
 -Porque tu danças menina?
 -Porque só assim vivo.
Era tudo, era tudo o que ela tinha, desde uma fração desde um segundo, dançar era sentir, era ver, que ela estava sendo verdadeira, sendo ela mesma uma única vez.
Texto de Karine Cassol do
blog Dreamer. 
Você diz um tema e ela faz o texto.
Se alguém quiser participar, aqui está:

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Dança


Ah! ah dança.
O jazz, o ballet.
Os movimentos.
Amo dançar,
Esqueço tudo e todos.
Me sinto eu mesma,
Me encontro.
E é isso que gosto.
Ah! como é bom dançar
Deixar os movimentos fluirem pelo corpo
Sentir-se e ser parte da coreografia,
Da musica.
Sentir-se como nunca se sentiu antes.

Raphaela Barreto  

domingo, 8 de abril de 2012

Finalmente.


Ela já não aguentava mais suportar tudo. Queria colocar tudo para fora, mas ninguém estava lá para ouvir. Queria chorar, mas lagrimas faltavam. Tudo era tão estranho. Tudo era tão confuso. Ela já nem sabia mais o que o que ou quem era ela. Respirou fundo w o que tanto queria veio.  Começou a chorar por um motivo, mas terminou com mil. Não  irei dizer para não chorar porque nem todas as lagrimas precisam ser tristes e ninguém precisa ser forte o tempo todo. 
E então, ela chorou, chorou até não conseguir mais e depois dormiu. Finalmente dormiu.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Apenas confie

 
Há umas várias vagas lembranças, tempos perdidos, sorrisos que se perderam, amizades que se tornaram apenas imagens dispersas na mente, porém importantes. Mas como tu tens sido fiel. Como tudo tens estado presente quando ninguém mais estava. Como é bom poder saber que o Senhor nunca me abandonara.

Acreditar, andava sempre meio que perdida, eu não estava entendendo nada para ser exata. As palavras "Confie em mim" que vinham do alto, soaram tão diferentes "como posso, como eu vou conseguir, se não vejo nada?" APENAS CONFIE. Era o que prevalecia.

Passou o tempo, e esperar se tornou a coisa mais certa. Se tornou o brilho diferente, Deus me deu motivos para acreditar e para confiar, mas precisamos ter fé, precisamos crer que ele tem o melhor preparado para as nossas vidas.
 
Texto de Karine Cassol, do blog Dreamer.
Amei esse texto, "Nem sem pre Deus diz sim,
ou não. Ás vezes a respota é espere."

quinta-feira, 5 de abril de 2012

I love you

 
Ela andava em reconstrução, olhando para os cantos que pareciam estar vazios, mas estavam cheios. Olhava as pessoas que encontrava no seu caminho até chegar até a aconchegante biblioteca, e via frases estampadas, citações expostas que davam vida e muitas vezes falta de vida em algumas pessoas.
Tirou calmamente um pedaço todo amassado de papel, um embrulho de uma velha carta, que haveria ganhado a muito tempo. Hoje seria o dia, hoje seria o momento, depois de treze longos anos a única coisa que permanecia dentro de si eram as palavras daquela carta e a esperança de que tudo estava da mesma forma.
Entrou calmamente pela velha sala,  se sentou sobre a última mesa. E  ficou por um momento ali olhando para as lembranças. Por um momento sussurrou brava, e indignada.
-Não acredito o que estou fazendo aqui?
Realmente sair milhares de quilômetros, uma viajem tão cansada, para cumprir uma promessa era algo tolo e sem valor, "não devemos confiar tanto nas pessoas" dizia ela. Mas era ele. Sempre foi ele. Uma lágrima repousou sobre a carta, por anos tentou fugir e hoje tudo o que ela mais queria era ter ele perto, era poder fazer com que a ampulheta do tempo voltasse e recolhesse todas as rosas que ela havia jogado fora enviadas por ele.
-Você veio. -Uma voz balbuciava por detrás dela, uma voz que havia mudado que de fina, havia se tornado grossa, o que era jovem, havia se tornado homem. Ela virou calmamente sua face e pode perceber ele estava lindo, e seu sorriso demonstrou, que sua promessa havia se cumprido: "Te amarei para sempre".
 
Texto de Karine Cassol, 
do blog Dreamer
Perfeito não?

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Para sempre. Aprendizes.

 
-Uma hora eu me acostumo. - Dizia ela à amiga.
- Se acostuma com o que?
- A ver e não falar, não reagir, e a ver as coisas não mudarem.
-Você sabe que elas sempre mudam.
-Não, não...
-Mudaram com você.
-Não mudaram comigo, nunca mudaram, apenas amadureceram.
 
Texto da Karine Cassol, do blog Dreamer
Eu leio os textos dela e não tenho vontade de mudar nada,
de tão perfeitos que são.