sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Hipócritas


As pessoas estão me estressando. Todos falsos e hipócritas que só sabem julgar. Todos iguais, mas uns mais iguais que os outros. Quando digo todos quero dizer a grande maioria dessa merda de sociedade. Cada vez mais as pessoas me impressionam com suas babaquices, fofocas, intrigas e historias mal contadas com desculpas esfarrapadas. Há sociedade me cansa com suas mesmas conversas rotineiras, mesmos assuntos, um tentando se aparecer mais que o outro, numa disputa que nunca tem fim. São poucos os que se destacam, e os bons, eu sei quem são. 

domingo, 16 de outubro de 2011

Diferente


Sou eu, a Rapha, a mesma Rapha. Talvez um pouco mais retardada, um pouco mais criança e mais madura ao mesmo tempo. Sou ainda aquela Rapha que tu conheceste, talvez agora mais sábia, com um novo jeito de olhar o mundo e pensar, com um novo jeito de fazer perguntas e achar respostas para elas. A mesma Rapha, um pouco mais diferente, mas ainda sou eu. O fato é que mudei, diversos foram os motivos. Na verdade todos mudam, cada um tem seu motivo. Mudar ou não, ás vezes você nem tem escolha... Mas sempre que mudar não perca o que você tem de melhor, seja o seu melhor o que ás pessoas consideram defeitos, "porque no final das contas, tudo isso define quem você é"

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Feliz dia das Crianças


(Na foto está eu e meu primo Marcio brincando num parquinho que havia perto da casa da minha vó)

Ah, velhos e bons tempos. Eu era tão feliz, não que eu não seja agora, mas naquela época eu era mais; não tinha preocupações, contas para pagar, garotos em que pensar, roupas à escolher... Tudo é tão novo e estranho agora, uma confusão total, mil e um pensamentos ocupam minha mente. Ai ai, ser adolescente é tão complicado e tão... excitante ao mesmo tempo. Porém se eu pudesse ter um dia novamente de minha infância eu com certeza gostaria de ter. Iria brincar até não querer mais, correr até minhas pernas protestarem, iria rolar na areia sem me preocupar, andaria descalça para cima e para baixo, pentearia o cabelo de minhas bonecas, iria brincar de pega-pega, esconde-esconde, passa anel, telefone sem fio, batata quente e muito mais brincadeiras que as crianças de hoje desconhecem.
Bem, hoje desejo a você criança e a a você que não é criança mais queria um presente, um Feliz dia das Crianças, aproveite muito essa linda fase da tua vida. 

domingo, 9 de outubro de 2011

La Tour Eiffel


Estava eu e mais três amigas minhas, entramos na fila, e ficamos conversando de boa. E a cada minuto que passava chegávamos mais perto da nossa vez. Uma hora e meia na fila, mas valeu a pena. Quando chegou nossa vez, fomos correndo sentar, respirei fundo e prendi a trava de segurança, agora não tinha mais volta. E enquanto aquele brinquedo subia eu me perguntava: Por que diabos eu tinha sentado no brinquedo? O que me deu na cabeça em querer vir nisso? E quando eu pensei que o brinquedo já estava chegando no topo, olho para cima e vejo que ainda falta metade. Meu coração está acelerado, minha respiração razoavelmente desregular e minhas mãos não param de tremer. A vista é, sem duvida alguma, maravilhosa. E finalmente chego lá em cima. Dou uma ultima olhada na paisagem e fecho meus olhos e seguro com todas as forças no colete e de repente ele despenca. Uma altura de 70 metros há 85km/h em apenas 4 segundos. Nem tempo de gritar dá, e quando você for ver, já chegou lá embaixo de novo. Foi bom, sensacional, maravilhoso, e logo quero ir de novo no La Tour Eiffel.

domingo, 2 de outubro de 2011

Turbilhão


E poderia eu escrever inúmeras palavras sobre que está acontecendo comigo agora, poderia escrever um pequeno livro com todos os detalhes, mas tempo e paciência me faltariam, então coloco aqui em poucas palavras um turbilhão de sentimentos e acontecimentos recentes de minha vida. 
Coisas novas acontecem comigo, sabedoria adquiro, meu campo de visão se abre, e... tenho medo de tudo o mais que pode acontecer. Tenho medo de tudo o mais que podem fazer. Os humanos cada vez mais me assustam com suas maquinas, cada vez mais coisas me assustam. Mas não temerei, pois o medo adora roubar sonhos, e uma pessoa precisa de sonhos para viver, precisa de sonhos para poder voar
Sinto saudades de ir de tarde na casa das minhas amigas brincar de boneca, sinto saudades da minha infância, agora tudo se resume em: trabalho, escola e dança. 
Droga de lei da natureza, não poderiamos sermos todos crianças para sempre sem nos preocupar com as contas do fim do mês? Não, não poderíamos. Já que não podemos, aproveito minha adolescência o máximo que posso, afinal, ninguém sabe o que o futuro nos reserva.