domingo, 28 de agosto de 2011

Perfeição


A perfeição não existe. É um sentimento imaginário, que surge em corações apaixonados e desesperados por carinho e afeto. 
Esse é o grande segredo de amar: enxergar a perfeição onde ela não existe. 

Henrique Dias

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Jazz


Movimentos graciosos e leves. Postura alinhada. Posições que pensei que jamais faria. E logo, logo meu corpo está na batida da musica. No ritmo certo. Como se a musica fizesse parte de mim e eu parte da musica. 
Um passo para lá, outra para cá, e logo, logo uma coreografia está montada. 
Energia entra e saí de meu corpo. Esqueço meus problemas. Naquela sala só existe eu e a musica, a musica e eu. Concentração, hora de respirar fundo e começar a dançar como se não houvesse depois.
Dançar algo, chamado Jazz.

domingo, 21 de agosto de 2011

Ilusão



"Lá estou eu em mais uma mesa com risos pela metade. Olho pro lado e sinto uma saudade imensa, doída, desesperançada e até cínica. Saudade de alguma coisa ou de alguém, não sei. Talvez de mim, de algum amor verdadeiro que durou um segundo... Meus amigos me adoram. Mas será que eles sabem que se eu estou morrendo de rir agora, mas daqui a pouco vou morrer de chorar? E eu, mais uma vez, olho para o lado morrendo de saudade dessa coisa que eu não sei o que é. Dessa coisa que talvez seja amor. Odeio todos os amores baratos, curtos e não amores que eu inventei só para pular uma semana sem dor. A cada semana sem dor que eu pulo, pareço acumular uma vida de dor. Preciso parar, preciso esperar. Mas a solidão dói e eu sigo inventando personagens. Odeio minha fraqueza em me enganar. Eu invento amor, sim e dói admitir isso. Mas é que não aguento mais não dar um rosto para a minha saudade. É tudo pela metade, ao menos a minha fantasia é por inteiro.. enquanto dura. No final bruto, seco e silencioso é sempre isso mesmo, eu aqui meio querendo chorar, meio querendo mentir sobre a vida até acreditar. E aí eu deito e penso em coisas bonitinhas. E quando vou ver, já dormi."

"E então, logo começo a pensar no meu ultimo amor, se realmente iria dar certo e bate a saudade. Ai aparece mais um rostinho bonito, que parece ser perfeito também, e lá vou eu naquela velha historia de me apaixonar e me fuder no final. Naquela velha historia de achar que tudo vai dar certo, que tudo vai ser como um livrinho para crianças em que fada madrinha existe. 'Aquela velha historia' que vai acabar novamente comigo na cama, com saudade e pensando em coisas bonitinhas. E quando vou ver, já dormi"

Obrigado Thallyta por ter me inspirado a escrever esse post (:

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Monster


 Eu não entendo como tem gente que pode machucar um animal desses. Não entendo como pode dar falsas esperanças de um lar e depois jogar o animal na rua, para que morra de fome, ou de doença, ou por atropelamento ou de tristeza e depressão.  Tudo bem que tem pessoas que não gostam de animais, mas fazer crueldade já é demais.  Logo a aquele que só quer o bem do dono, que vai ser fiel até o dia de sua morte e que vai ama-lo incondicionalmente até seu ultimo sopro de vida.  Como algum humano pode querer machucar um animal, que mesmo depois de você brigar com ele, vem abanando o rabinho de felicidade? Já sei, porque pessoas assim não tem coração, e que não tem coração não é humano, e quem não é humano só pode ser um monstro.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Velhos tempos


Estava aqui com meus botões a pensar o quão difícil é nos desapegar de coisas que fizeram parte de nossa vida. Seja um brinquedo que tanto brincamos quando eramos crianças ou uma roupa que adoramos. Coisas que cuidamos com tanto carinho, não deixando quebrar, temos que dar embora, passar adiante, dar para alguém mais necessitado e é nessa hora que dá um aperto no coração e você relembra os bons momentos que passou com aquilo, e vê que já não é a mesma pessoa daquela época, que você cresceu, amadureceu, ganhou novas responsabilidades, e então, você sente saudade. 
Ironia não? Quando somos crianças queremos crescer logo e quando crescemos queremos voltar a ser criança. Mas, querer não é poder e a lei da vida é predominante: Nascer, Crescer, Morrer.
E enquanto crescemos, levamos saudades de velhos tempos, velhos e bons tempos

sábado, 6 de agosto de 2011

Maravilhoso


Não somos o que somos por acaso, todos nós somos do jeito que somos porque temos uma historia. 
E cada pessoa tem há sua.
Podemos ser de um jeito e logo depois mudar porque algo aconteceu ou simplesmente mudar para impressionar alguém. 
Mas não importa quantas vezes você mude, nunca perca o que você tem de melhor, porque isso pode fazer você ser especial, e ser especial é maravilhoso. 

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Felicidade


A felicidade está em pequenas coisas, em simples gestos.
Afinal, se você der uma bala há uma criança, ela irá sorrir. 
Sorrir não é tão difícil assim, e ser feliz também não.  

P.S: Gente linda desculpa não estar postando com frequência, é que agora eu estou trabalhando, mas prometo que sempre que tiver um tempinho posto alguma coisa.